Sobre a ABAP

Em 28 de maio de 1976, foi criada a Associação Brasileira de Arquitetos Paisagistas (ABAP), em resposta à solicitação oriunda do encontro da International Federation of Landscape Architects (IFLA) realizado no ano anterior, em San Antonio, Texas (EUA). A arquiteta paisagista Rosa Grena Kliass, então membro individual da IFLA, reuniu um grupo de profissionais atuantes em São Paulo e juntos decidiram pela fundação de uma associação que representasse o Brasil na instituição internacional. Dois anos depois, em 1978, a jovem ABAP ousou ao sediar em Salvador, Bahia, o XVI Congresso da IFLA, aglutinando profissionais de todo o Brasil e de diversos países.

Segundo suas disposições estatutárias, suas principais metas consistem em assistir, promover, apoiar, incentivar e desenvolver ações científicas, tecnológicas, educacionais, culturais, sociais e ambientais que visem o desenvolvimento, a divulgação e a valorização profissional da Arquitetura Paisagística no país. Para o seu alcance, tem por objetivos:

  • incentivar e promover a divulgação, a valorização e o aperfeiçoamento da Arquitetura Paisagística como instrumento a serviço do bem estar público;

  • incentivar e promover a conservação e a preservação das paisagens naturais e culturais, bem como a criação de padrões de qualidade ambiental;

  • obter a cooperação de órgãos governamentais, de entidades privadas e de demais organizações da sociedade civil, no sentido de aperfeiçoar o desempenho das atividades ligadas à Arquitetura Paisagística, contribuindo para a consolidação da consciência técnica, artística, ética, social e ambiental;

  • fomentar a composição de espaços – físicos e virtuais – de criação e vivência cultural, intelectual e/ou científica, que contribuam para a produção, promoção e disseminação do conhecimento da Arquitetura Paisagística;

  • realizar e apoiar exposições, oficinas, laboratórios, cursos, simpósios, seminários, círculos de estudo, congressos, conferências, palestras, encontros, debates, feiras e quaisquer outros eventos e ações educacionais, culturais e científicas afetas ao seu objeto social;

  • divulgar, publicar e distribuir informações, dados, trabalhos, estudos e documentos relacionados com o seu objeto social, inclusive mediante a produção, edição e distribuição de materiais científicos, culturais e didáticos, de obras audiovisuais e editoriais, tais como livros, revistas e periódicos, entre outros, em qualquer tipo de mídia;

  • manter e fomentar intercâmbios educacionais e culturais, com pessoas físicas e jurídicas, nacionais e estrangeiras, em especial com universidades e escolas superiores, com professores universitários de Arquitetura Paisagística e com pessoas jurídicas de consagrado renome no ramo;

  • realizar estudos e pesquisas, bem como desenvolver tecnologias, entre outras atividades relacionadas ao seu objeto social, podendo contratar a prestação de serviços de terceiros, bem como firmar, com pessoas físicas ou jurídicas, públicas ou privadas, nacionais ou estrangeiras, contratos, convênios, acordos ou recorrer a quaisquer outras formas de colaboração e cooperação;

  • participar de editais de chamada e processos de seleção, dentre outros, propondo projetos que objetivem a concessão de patrocínios;

  • criar prêmios, concursos e outras ações de estímulo relacionadas com o seu campo de atuação;

  • desenvolver e organizar bancos de dados, produtos, ferramentas e equipamentos, dentre outros relacionados com o seu campo de atuação;

  • difundir e explorar a marca da ABAP/Nacional e outras marcas que possua ou que detenha os direitos de exploração;

  • colaborar ou participar de programas governamentais e de programas desenvolvidos por entidades privadas ou da sociedade civil que afetem ou sejam afins às suas áreas de atuação, podendo, inclusive, participar e/ou aceitar assentos em comitês, câmaras, fóruns, redes e outros;

  • integrar órgãos de entidades de Arquitetura e Urbanismo;

  • defender a conservação e a preservação do patrimônio ambiental, histórico e artístico e estimular a produção de manifestações e bens culturais, formadores e informadores de conhecimento, cultura e memória, incluindo atividades que fomentem a liberdade de expressão;

  • apoiar e se articular com outras organizações ligadas ao terceiro setor;

  • fomentar a elaboração de políticas públicas afetas, principalmente, à Arquitetura Paisagística.

Em 2006, ao completar 30 anos de luta, a entidade realizou seu 1º Congresso Internacional de Arquitetura Paisagística, reunindo 300 profissionais por três dias consecutivos no Palácio Gustavo Capanema, no Rio de Janeiro. Na abertura do ano do seu 40° aniversário, já realizou três edições daquele evento, com agendamento do quarto, e iniciou uma série de seminários de âmbito nacional. Atualmente, além da sede em São Paulo, mantém vários núcleos estaduais.

Para mais informações:
Rua Campevas, 115, cj. C, Perdizes
05016-010, São Paulo, SP
Telefone: (11) 3675-7810
abap@abap.org.br